E novamente já é Carnaval

Pois é, mais um ano e já É carnaval! mais uma vez.

E em Pernambuco tem Frevo, reconhecido pela Unesco como Patrimônio da Humanidade, onde música e dança estão em uma harmonia tão grande que as notas nas partituras já nascem fazendo o passo tamanho é o rebuliço.

Ferreirinha mostrando que fazer o passo é para todos
Passista do Brincantes das Ladeiras nas ruas de Olinda

Também tem Maracatu de Baque Virado (Maracatu Nação) e Maracatu de Baque Solto (Maracatu Rural), cada um com seus encantos especiais. Um tem raízes na capital, Recife, o outro tem suas origens ligadas à cultura da cana-de-açúcar. A música e a dança também são diferentes, no Baque Virado a percussão é quem conduz o movimento compassado dos Brincantes. Já no Baque Solto, apesar da existência de um terno percussivo, é a orquestra de metais quem dita em ritmo acelerado os movimentos vigorosos dos foliões.

Maracatu Nação Estrela Brilhante de Igarassu
Caboclos de lança do Maracatu Rural

Mas Pernambuco não é apenas “a terra do frevo e do maracatu”, no Carnaval daqui também tem Caboclinhos. Menos conhecido do público, mas de uma beleza inebriante. É um brinquedo que possui a música marcada pelos sons das preacas, adereço/instrumento musical em forma de arco e flecha, em que a flecha ao ser acionada se choca com a face interna do arco de madeira e produz um som característico que resulta em uma marcação coletiva da dança que possui coreografias complexas, com uma rica variedade de passos.

Caboclinhos desfilando nas ruas do Recife

O fato é que não se é mais a mesma pessoa depois brincar um Carnaval em Pernambuco, com suas cores e brilho, que encantam os olhos e com seus brincantes que, com alegria e graça, aquecem os nossos corações.

A La Ursa em espetáculo do Brincantes das Ladeiras

E pensa que é só isso? É nada! Em terras pernambucanas você também pode ir atrás de uma La Ursa, pedindo dinheiro, acompanhar o cortejo dos Boizinhos, se vestir de Papangu em Bezerros ou de Careta em Triunfo. Os Cocos têm vez no Carnaval também. E, acreditem, por aqui o Samba tem uma tradição riquíssima. Ufa! E ainda não acabou, mas aí só vindo pra cá para vivenciar essa experiência incrível.

Evoé!

Texto e fotos: Elysangela Freitas

Gostou? Então acesse os posts anteriores:

Tá curioso para ver as fotos do ensaio? Você pode conferir aqui.

Quer saber mais sobre as brincadeiras fotografadas? Dá uma olhada aqui.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s