Quem foram nossas referências visuais? (parte 1)

Captura de Tela 2018-05-04 às 09.25.54
Carnaval do Recife. Foto de Pierre Verger.
Fonte: http://www.pierreverger.org/br/acervo-foto/fototeca/category/593-carnaval.html

A principal referência visual da pesquisa é o fotógrafo, etnólogo, antropólogo e escritor Pierre Verger. Ele, em sua obra, expressa um compromisso com o espaço e o tempo sagrado, através de sua produção etnográfica, seja por meio da fotografia ou da escrita. As imagens que Verger realizou, com destaque àquelas produzidas no Brasil e na África, documentam uma complexa maneira de vivenciar o mundo. Ele fotografa o espaço da rua, as pessoas simples, a conexão do povo com a religiosidade, especialmente aquela relacionada aos cultos afro-brasileiros.

Na visão de Cláudia Maria de Moura Pôssa (2010):

A fotografia de Verger conserva algo da fluidez originária do acontecimento. Além do que mostra, está o sugerido que permite um transbordamento de perspectivas, que permite a quem vê a foto ser tocado pela cena mostrada. A fluidez torna-se um modo de ser e o fotógrafo improvisa e desenvolve métodos para a obtenção da imagem, para captar a poesia que está escondida nas coisas, no que presencia e vivencia. É capaz, particularizando no tumulto do acontecimento, de trazer à tona e de tornar aparente, aquela determinada cena, aquele instante que a foto tenta fixar e reter. Por meios que lhe são próprios, o fotógrafo extrai de um estado latente o registro duradouro. Usa procedimentos que são formas de aproximação. Com cautela e ousadia, senso de iniciativa e precisão, capacidade de perceber o Outro, o fotógrafo corre os riscos de quem interage com a cena. É capaz de reagir dessa ou daquela forma, dependendo do que as circunstâncias solicitarem, de incorporar as sugestões do instante e da paisagem. Em resumo, fica de olho aberto, é um observador atento.

Em muitos dos seus registros fotográficos Pierre Verger documenta folias ao ar livre, o povo nas festas, bem como em outras atividades cotidianas, onde a força da cultura negra é valorizada. A fotografia de Verger sobre as culturas populares “mostra o povo na posição de protagonista, daquele que realiza, se diverte, dança, ritualiza e sorri” (SANTOS, 2010). Suas imagens mostram culturas populares dinâmicas, ele consegue captar muito bem o movimento em suas fotos e as danças são apresentadas com entusiasmo.

Em uma de suas viagens a Pernambuco, Pierre Verger fotografa o Carnaval pernambucano de 1947, onde predomina o frevo. A festa carnavalesca representa uma explosão dionisíaca desde suas origens primitivas, com suas danças e grande euforia, e para representá-la Verger se utilizou de sua apurada técnica e domínio da linguagem fotográfica para captar bem as expressões corporais dos foliões comuns e dos passistas do frevo, ultrapassando a mera representação para realizar uma imagem que vai além do documento, do puro registro etnográfico. Nelas os corpos são dispostos em um conjunto relacional de afetos e diversidades, elas são expressivas e anunciam a alegria dos passistas emitindo um som que não se ouve, o compasso das formas e volumes.

Por fim, ressalte-se que Verger mudou a forma de representação dos negros, suas fotografias permitem “vê-los em atividades constituintes de identidades que mostram processos civilizatórios da cultura africana e afrodescendente” (SANTOS, 2010). Claro que os conflitos existiam, no entanto, Verger consegue fazer um recorte da realidade em que a cultura africana existe por si mesma, é possível sentir sua força, beleza e poesia, em toda sua potência.

Obs.  texto extraído do relatório de atividade de produção apresentado à Universidade Católica de Pernambuco, como requisito para obtenção do título de Especialista em Narrativas Contemporâneas da Fotografia e do Audiovisual. Para o relatório completo acesse aqui.

Tá curioso para ver as fotos do ensaio? Você pode conferir aqui.

Quer saber mais sobre as brincadeiras fotografadas? Dá uma olhada aqui.

 

REFERÊNCIAS

Fundação Pierre Verger. <http://www.pierreverger.org/br/>

PÔSSA, Cláudia Maria de Moura. Dieux d’Afrique: Pierre Verger entre a África e a América. Disponível em: <http://www.anpap.org.br/anais/2010/pdf/chtca/claudia_maria_de_moura_possa.pdf>. Acesso em: 28 jul. 2016.

SANTOS, Eunice Ribeiro dos Santos. Pierre Verger: o fotógrafo da cultura popular influências estéticas e estilos. Disponível em: <http://www.cult.ufba.br/wordpress/24795.pdf>. Acesso em: 26 jul. 2016.

3 comentários Adicione o seu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s